Atitudes que fazem a diferença em uma entrevista de emprego

Beatriz Carvalho

Beatriz Carvalho

Todos sabemos que a entrevista de emprego é um momento de muita tensão. É comum que o candidato fique nervoso, resultando em reações como gaguejar, tremores, sudorese, o famoso “branco” na hora de responder perguntas, e até em consequências mais sérias, como crise de ansiedade. Esse nervosismo é causado por diversos fatores, entre eles a insegurança, que interfere no desempenho na entrevista. Neste artigo vamos pontuar algumas dicas de como se portar em uma entrevista de emprego, com objetivo de ajudar no preparo e consequentemente, promover maior segurança nesse momento.

Conheça a instituição
 

Primeiramente, antes do dia da entrevista, é importante que o candidato procure saber sobre a instituição onde pretende trabalhar. Fatores como a história, cultura, seus objetivos, seus valores e sua missão, tudo isso será importante pois demonstra que você não “caiu de paraquedas” naquela vaga, e sim, que se interessa por ela e porque combina com seu perfil, que entende como e por que irá trabalhar lá. Faça uma pesquisa sobre a instituição, observe os aspectos que combinam com você, e tenha em mente que diversas perguntas giram em torno disso.
Motivação é uma característica almejada entre os candidatos, mas nem toda motivação é interessante ao entrevistador. Os motivos que levam alguém a querer um emprego são vários, quando perguntam “por que você quer essa vaga?”, para muitas pessoas essa resposta é simples e óbvia: porque preciso de dinheiro. Claro que todos estamos à procura de renda, essa é uma motivação compartilhada entre qualquer candidato que procura em emprego, logo, essa não é a motivação que o entrevistador procura. Todos querem gerar renda, mas você deve demonstrar porque essa vaga merece ser sua. Esse é um bom momento para pôr em prática as pesquisas feitas à respeito da instituição, é a hora de falar que essa vaga tem tudo a ver com você porque você admira o trabalho que essa instituição faz, porque ela vai te acrescentar habilidades e experiências que te farão crescer como profissional e como pessoa, e que você tem muito a acrescentar para ela, pois  entende do que a instituição precisa.

Fale sobre você
 

Agora, saindo um pouco do foco na instituição, o que interessa ao entrevistador é saber sobre você. É importante, portanto, que seja feita uma reflexão previamente sobre seus pontos a desenvolver e competências, sobre seus valores, seus objetivos. Seja você mesmo, tenha consciência de que nenhum candidato possui todas as características requisitadas para aquela vaga, mas saiba que todos temos potencial para desenvolver certas habilidades. Demonstre que você conhece suas competências, e que está disposto a trabalhar naquelas que não são muito bem desenvolvidas. Algumas características procuradas pelos entrevistadores são proatividade, bom relacionamento interpessoal, capacidade de trabalhar em grupo, comprometimento, organização, adaptabilidade. Saiba reconhecer aquelas que são bem desenvolvidas e aquelas que você pode desenvolver mais, e principalmente, não minta. Pode ser que o entrevistador tente testar essa sua característica durante a entrevista, e se ele perceber que você disse algo apenas para conseguir o emprego, isso pode te desqualificar, afinal, sinceridade é uma virtude que todos valorizamos.

Qualquer experiência é válida
 

Além de características, o entrevistador quer saber sobre experiências suas que podem ser interessantes para aquela vaga. Nesse momento qualquer experiência é válida, desde algum emprego que você teve até aquele freela que você fez só para conseguir uma renda extra. Conte sobre os passeios com cachorro, sobre os docinhos que vendeu na escola/faculdade, sobre o evento que você promoveu, sobre as aulas particulares que deu. Vale até trabalhos não remunerados como voluntariado em ONG, trabalhos acadêmicos ou comissão de formatura. Todas essas experiências trouxeram aprendizado. Fale também sobre aquele curso que você fez, e não só apenas para mostrar sua qualificação, mas explique porque você se interessou por esse curso, quais foram os ganhos e como foi a experiência para você.

Essas são algumas dicas que selecionamos para te ajudar no momento da entrevista. É completamente normal sentir nervosismo, mas há meios de trabalhar a ansiedade. Autoconhecimento e algumas pesquisas prévias podem ser um grande diferencial para melhorar o desempenho do candidato. Lembre-se de ser você mesmo, seja transparente e sua parte estará feita, o resto do trabalho é do entrevistador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *