Os 4 tipos de Cultura Organizacional de Kim Cameron

O que é Cultura Organizacional?

A cultura é definida na sociologia como o conjunto de saberes e fazeres de um povo em determinado período no tempo.

Dentro das organizações entendemos esse conceito enquanto a forma como as pessoas se relacionam, como produzem, os processos que seguem e o que faz elas agirem como agem. Temos, inclusive, um artigo que explica um melhor o conceito de Cultura Organizacional. Além de explicarmos também alguns tipos de cultura segundo Hofstede.

Os 4 Tipos de Cultura

Em busca de simplificar o entendimento desse fenômeno organizacional, Kim Cameron (1946-), um professor de administração da Ross School of Business na Universidade de Michigan, criou uma classificação funcional de modelos culturais.

Ele sumariamente defende que existem ao menos 4 formas nas quais uma organização pode se estruturar.

  • Enquanto um Clã
  • Adhocdaticamente
  • Orientada ao Mercado
  • Focada em Hierarquia

Tipo 1: Cultura Clã

Uma cultura nesse formato enfatiza relações mais afetuosas entre os funcionários, como uma verdadeira extensão da família. Existindo modelos de liderança paternalistas e avaliando seu sucesso calcado na experiência do colaborador.

Tipo 2: Cultura Adhocrática

Culturas desse tipo tem como core a inovação. Buscando sempre a criatividade como um elemento importante na organização em curto e longo prazo. Os líderes que emergem desse tipo de cultura são aqueles que inspiram seus colaboradores.

Tipo 3: Cultura orientada ao Mercado

São aquelas culturas altamente focadas em resultados e consideram seu sucesso com base em indicadores claros de performance. Pedindo líderes que funcionem como verdadeiros gestores.

Tipo 4: Cultura hierárquica

Essas funcionam processualmente. Utilizam a burocracia como um elemento de estabilidade e produtividade. Cobrando seus funcionários muito mais pelo cumprimento de tarefas e procedimentos que pelos resultados em si. Os líderes mais fecundos aqui são aqueles que agem como coordenadores de tarefas.

8 ou 80?

Não existe organização que é 100% um tipo em detrimento de outros. O que observaremos na prática é um misto de características com algumas mais acentuadas e outras menos presentes. Assumindo também que departamentos diferentes assumirão micro-culturas diferentes, havendo sempre um continuum que deve estar sempre no radar do setor de Recursos Humanos.

Adaptamos um esquema gráfico do artsfwd.org que ilustra melhor o quanto uma empresa pode tender para diferentes posições ao mesmo tempo ao longo de alguns eixos.

Qual a melhor?

Não existe melhor ou pior a priori. Um departamento de Recursos Humanos estratégico irá fomentar a cultura mais aderente ao sucesso da empresa. Para algumas fará mais sentido uma estrutura de determinado tipo e não de outro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *