Formas de realizar Treinamento e Desenvolvimento na Organização

Este post faz parte da série de transcrições das aulas de Psicologia Organizacional e do Trabalho ministradas pelo Professor André Bruttin no curso de Psicologia da PUC-SP
Ainda estamos trabalhando para melhorar os textos, mas disponibilizamos ele provisoriamente pelo seu valor.
Aula 8
Treinamento e Desenvolvimento de pessoas é a área que nos exige pensar em estratégias de desenvolvimento dos funcionários, a fim de promover suas habilidades e competências no ambiente de trabalho. É necessário, assim, saber identificar as possíveis necessidades, para que se atinja bons resultados à Organização. Porém, dar treinamentos não é a única forma de alcançar esses objetivos, sendo possível a apresentação de maneiras mais criativas de atuação que têm como objetivo, também, o desenvolvimento de pessoas. Sendo assim, pode-se realizar:

JOB ROTATION – uma rotatividade de funções entre os membros das empresas, mais utilizado em programas de estágios. Quando utilizado com fins de desenvolvimento, pedimos que o funcionário use 20% de seu tempo na sua atual função e realize atividades em outras áreas, como por exemplo Recrutamento e Seleção;
BENCHMARKING – 2 empresas se encontram para trocar experiências que auxiliem em seu desenvolvimento;
COACHING/ MENTORING/ COUNSELING – são estratégias de desenvolvimento que focam no indivíduo e não em grupos, como as anteriores. É uma relação de 1 para 1, por exemplo o Coach se relaciona com seu Coachee, enquanto um Mentor se relaciona com seu Mentee. O COACHING ocorre dentro da própria empresa, visa competência do sujeito, importante para a carreira do funcionário ou para a empresa. Em geral, dura 6 encontros. Já o MENTORING envolve um mentor que já passou por uma experiência e tem como foco a carreira do funcionário. O COUNSELING se direciona a resolver problemas de ordem pessoal do sujeito, cuida de sintomas, por exemplo quando ocorre a queda de performance do funcionário, faz o diagnóstico e encontra o motivo que está interferindo na produtividade do mesmo; a empresa banca até a questão estar minimamente resolvida, como por exemplo pagar um psicólogo para um funcionário que está com seu desempenho afetado por ter se separado recentemente.
ESTÁGIO EM ÁREAS CEGAS – fazer estágio em áreas diferentes das que estamos para obter conhecimentos que não temos, pois é importante adquirirmos.
TREINAMENTO IN COMPANY – desenhar programas de treinamento, ou seja, chamar entidades de fora, saber qual a entidade mais adequada para falar de determinados treinamentos, conhecer entidades que possam trazer conteúdos para a empresa. Chamar essas entidades, fazer o briefing (falar do que precisa e construir em conjunto) e colocam em prática.
Nesse papel, dentro das empresas precisamos identificar qual a necessidade da empresa, desenhar o programa, entrar em sala de aula para dar o treinamento; ter uma forma de avaliar esse treinamento também é necessário.
AUTOINSTRUÇÃO – Podemos desenvolver muitas competências mesmo sem atividades presenciais. É possível ter um plano de trabalho para nos instruir.
Ex. algumas vezes precisamos de informações de administração. Alunos de 5º ano pedem livros de administração ao invés de fazer curso.
Grupos multidisciplinares são chamados para resolver problema com funcionários de determinada área.

Essas são algumas das diferentes formas de realizar Treinamento e Desenvolvimento na Organização. Esperamos ter ajudado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *